Blog Voltar

Holding familiar: entenda quais são os custos!

Você já se perguntou quando vale a pena optar por uma Holding Familiar? 

 

Se essa pergunta já passou pela sua cabeça em algum momento, você está no lugar certo. 

 

É fato que após a morte de um ente familiar, inúmeras obrigações e direitos surgem para serem cumpridas pelos herdeiros. Não é verdade?

 

O luto além de ser um momento de vulnerabilidade emocional e tristeza, não precisa se transformar também em uma fase de conflitos e transtornos.  

 

Por esse motivo, todo cuidado ao lidar com assuntos que envolvam bens e família é necessário. 

 

Neste artigo decidi separar alguns tópicos que esclarecem isso para você, vejamos:

 

  • 1. Qual é a importância de uma Holding Familiar?
  • 2. Quanto custa criar e manter uma Holding Familiar? 
  • 3. Holding familiar x Inventário: qual o melhor custo?
  • 4. Como construir um holding familiar?

 

Vem comigo e encontre a resposta de todas essas perguntas.

 

Boa leitura!

 

1. Qual é a importância de uma Holding Familiar?

 

A palavra Holding em inglês deriva do verbo “to hold”, sabia?

 

Esse verbo pode significar: deter, reter, conter e segurar. 

 

Desse modo, a gente pode definir uma Holding Familiar como: empresa que tem por objetivo assegurar/controlar o patrimônio de pessoas físicas de uma mesma família. 

 

Mas não é só isso! 

 

A grande importância das Holdings Familiares está justamente no caráter de proteger os ativos familiares e ser uma ferramenta de alto custo-benefício de planejamento da gestão corporativa dos sucessores.

 

É fato que a construção de um patrimônio ao longo da vida não é tão simples. 

 

Preservar e manter, muito menos…

 

Passar de geração em geração, nem se diga!

 

Por isso, é importante não duvidar na escolha de uma boa ferramenta para a proteção desses interesses familiares. 

 

Por meio da holding familiar é possível além de proteger e concentrar o patrimônio familiar, facilitar a gestão coletiva, e estabelecer uma política de investimentos do patrimônio, reservas e uma distribuição de lucros planejada.

 

Ótimo, não é mesmo? 

 

Além disso, são inúmeras as vantagens de uma Holding Familiar. 

 

Veja a seguir:

 

  1. Planejamento financeiro: o negócio é gerido de forma societária e todos os membros são disciplinados para o controle de gastos e gestão da empresa.

 

  1. Planejamento tributário: aproveitamento de incentivos fiscais na tributação dos bens da pessoa jurídica, ou seja, da empresa.

 

  1. Perpetuação do patrimônio: o patrimônio dos sócios ou da pessoa física ou dos acionistas é protegido de situações que permitem a responsabilidade solidária em relação às empresas das quais participe.

 

  1. Planejamento sucessório: facilita e torna mais rápida a partilha de bens e a sucessão hereditária do patrimônio.

 

Agora que você já sabe o que é uma holding familiar e essas vantagens, que tal entender qual o custo de uma Holding?

 

Acompanhe!

2. Quanto custa criar e manter uma Holding Familiar? 

Em regra, um processo de abertura de uma holding familiar costuma trazer benefícios quando uma família possui uma ampla quantia de bens e patrimônios.

Fora desse ciclo, esse método não é tão usual e comum, pois o objetivo dele é justamente gerir altas quantias e entre muitas pessoas. 

Vamos entender isso através dos seus valores.

Hoje em dia, para abrir uma holding patrimonial familiar, o custo gira em torno de 15 mil reais. 

Porém esteja atento! 

Se você somar imóveis a essa equação ela pode atingir valores maiores, pois vão ser cobrados em média 4 mil reais por cada imóvel registrado no nome do familiar. 

Mas calma, os altos custos terminam aqui. 

Isso porque manter uma holding familiar ativa é mais barato do que sua abertura, sabia disso? 

O mínimo pago é de 250 reais mensais, contudo, imóveis e outros bens podem deixar esse valor um pouco mais salgado, como já foi dito anteriormente.

Lembre-se: o maior benefício dessa empresa é que ela vai funcionar como um cofre, que guarda o patrimônio da pessoa física, com tributos reduzidos.  

E melhor ainda. Não se exige a existência de um patrimônio mínimo para sua criação.

 

A partir dela vai ser possível executar um bom planejamento sucessório sem necessidade de inventário e com redução de impostos e outros custos.

Quer ver um comparativo com o custo-benefício dos inventários? 

É para já! 

3. Holding familiar x Inventário: qual o melhor custo?

Um dos motivos que justificam a popularidade do inventário é que essa forma de divisão dos bens é a mais conhecida pelos herdeiros.

 

Contudo, o inventário não é o melhor custo benefício, justamente porque na maioria das vezes a entidade familiar deixa de realizar diversas regularização necessárias, além de sempre haver desentendimento entre os sucessores, entre outros motivos.

 

Por exemplo, apenas com um inventário feito de qualquer forma, os herdeiros ficam impedidos de sacar saldos bancários, vender bens móveis e imóveis, realizar transações com os bens, entre outras atividades.

 

Isso porque todo bem material que é herdado e possui um valor relevante, possui certidões, declarações, documentos oficiais ou procedimentos legais que precisam ser atualizados através do processo de inventário.

 

Sem eles, nada é feito e tudo fica parado, o que causa prejuízos incontáveis para todo o patrimônio da família. 

 

Além disso, no inventário existem custos de ITCMD,custas judiciais e cartorárias, sem contar a possibilidade de conflitos e tensão entre os herdeiros.

 

Já em uma Holding é possível organizar os bens de forma mais tranquila e repassá-los a seus herdeiros, sem custos, ou impostos.

 

Melhor não arriscar, não é mesmo?

 

Pensando nisso escrevi o seguinte tópico para te ajudar a pensar como construir uma holding familiar com tranquilidade.

4. Como construir um holding familiar?

 

Antes de tudo, esteja acompanhado de um bom advogado!

Esse profissional é  fundamental , pois o processo de construir uma holding exige muito conhecimento técnico de direito tributário, sucessões e família.

Com essa ajuda, vai ser possível analisar a analisar alguns fatores, tais como: 

 

  • O patrimônio 
  • A família
  • O regime de casamento dos sócios
  • Os processos judiciais
  • As dívidas existentes
  • Os negócios e empresas
  • Os conflitos de interesses entre familiares

 

Essas verificações são extremamente necessárias, pois a falta delas pode desencadear problemas na constituição da sociedade.

Além disso, dentro de cada um desses pontos é necessário conciliar, antes de tudo, os interesses das partes envolvidas. 

Caso não haja acordo, a sociedade pode ficar comprometida!

Tendo tudo isso em mente e ao lado de um profissional especializado, as chances de fazer um péssimo negócio é NULA! 

Conclusão

 

Você viu por aqui que optar pela criação de uma Holding Familiar é um investimento com um bom custo-benefício para todos os envolvidos, e não é tão difícil quanto parece. 

 

Ainda mais quando você conta com a presença e orientação de um excelente profissional especializado. 

 

E outra: agora você já está mais preparado e entende os custos e a importância de uma Holding Familiar! 

 

Pois aqui você também encontrou:

 

  1. Qual o custo de uma Holding Familiar e a sua importância para os negócios
  2. Quais as vantagens desse tipo planejamento familiar
  3. Qual a diferença entre uma Holding Familiar e um Inventário
  4. E como começar a constituir sua Holding Familiar

 

Se restou alguma dúvida, não hesite, fale com a gente!

 

Até breve. 

Cadastre-se e receba dicas e novidades exclusivas